Confusão entre delegada e policias civis passa de 24 horas em Minas Gerais

Policiais civis estão há mais de 12 horas em frente a um prédio na região da Pampulha em Belo Horizonte (MG), onde mora a delegada Monah Zein, que atualmente trabalha na Delegacia Regional Leste de Polícia Civil.

De acordo com as informações preliminares divulgadas pela corporação, na manhã desta terça-feira (21) agentes se deslocaram ao apartamento e a delegada teria feito disparos para afastar os colegas. Ainda segundo a Polícia, os tiros foram dentro da residência e não houve feridos.

Até o inicio da noite, os policiais, com auxílio do Centro de Apoio Biopsicosocial, Corregedoria Geral, Corpo de Bombeiros e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) negociavam para que a delegada saísse do apartamento.

Ao longo do dia, Monah Zein fez diversas transmissões ao vivo em suas redes sociais, com a arma em punho mostrando trechos de sua negociação. Segundo ela, a própria instituição a teria humilhado e por isso não voltaria a trabalhar. E que apesar da polícia a tratar como potencial suicida, ela estaria apenas querendo ficar em sua casa, sem correr nenhum risco.

Em nota enviada à veículos de imprensa, o advogado de defesa de Zein, Leandro Martins, afirmou que “o estado de saúde delicado que a servidora se encontra momentaneamente, seria em razão de perseguições e retaliações no âmbito da Polícia Civil, instituição a qual vem adoecendo seus servidores sem prestar qualquer tipo de assistência. Os servidores da PCMG, sofrem assédio moral em tempo integral, principalmente as mulheres que integram os quadros da instituição. E o estado de saúde da delegada está deste jeito por conta da falta de estrutura no âmbito assistencial e no próprio hospital da Polícia Civil”.

 

Fonte: CNN Brasil

** Os comentários de internautas em publicações das redes sociais do Notícias Uai não representam, necessariamente, a opinião deste portal e são de inteira responsabilidade do autor.