spot_img

Suspeito de matar soldado da Rota em SP é preso no interior de Minas Gerais

Uma denúncia anônima sobre tráfico de drogas levou a Polícia Militar de Minas Gerais até Kaique Coutinho do Nascimento, de 21 anos, suspeito de matar um policial durante patrulhamento da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (ROTA), em Santos, no litoral de São Paulo. Ele foi preso em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, nesta quarta-feira (14).

Kaique, mais conhecido como ‘Chip’, foi preso junto de um outro homem, chamado de Ricardinho, um velho conhecido da polícia de Uberlândia. A princípio, o suspeito deu um outro nome aos militares. A informação foi concedida durante coletiva de imprensa nesta quarta (14).

- Publicidade -

Após uma breve investigação, a PM constatou a real identidade de Kaique e que ele tinha um mandado de prisão em aberto. O suspeito acabou confessando o crime.

Além de Kaique e Ricardinho, foram apreendidas drogas, R$10 mil em espécie e cerca de 20 munições. Todos foram encaminhados à delegacia de Uberlândia, onde seguirão os trâmites sobre a transferência ou não de Kaique para São Paulo.

Segundo a PM, Kaique não deu detalhes sobre o porquê estava em Uberlândia, nem se tinha parentes ou amigos na cidade, apenas conhecidos.

Relembre

Chip é o principal suspeito de matar o soldado Samuel Wesley Cosmo, durante patrulhamento das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (ROTA), em Santos, litoral de São Paulo.

Ele participava de um patrulhamento durante a ‘Operação Verão’ na Baixada Santista no dia 2 de fevereiro, quando foi surpreendido por criminosos. A câmera corporal usada por ele filmou toda a ação.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, o soldado chegou a ser socorrido e levado à Santa Casa de Santos, mas não resistiu aos ferimentos. No local do crime, bairro Bom Retiro, foram apreendidos um celular, um carregador de pistola e um estojo de munição 9mm.

Em 2018, Samuel havia perdido um irmão, também policial militar, enquanto trabalhava em Santo André, no ABC Paulista. Os dois eram filhos do agente da Polícia Civil do Distrito Federal, Antônio Marcos Cosmo.

spot_img
** Os comentários de internautas em publicações das redes sociais do Notícias Uai não representam, necessariamente, a opinião deste portal e são de inteira responsabilidade do autor.

Ação não permitida.