spot_img
spot_img

Vale envia nota ao Notícias Uai e se posiciona sobre situação de barragem

spot_img
spot_img

Em contato com o Notícias Uai, a assessoria de comunicação da Vale confirmou que a Agência Nacional de Mineração (ANM) determinou a interdição de três Pilhas de Estéril (PDE) da Mina de Fábrica Nova, em Mariana.

“A Vale informa que, na última sexta-feira (11/11), a Agência Nacional de Mineração interditou, preventivamente, as atividades de disposição de estéril nas pilhas PDE Permanente I, PDE Permanente II e PDE União Vertente Santa Rita, da mina Fábrica Nova, em Mariana”, diz a nota.

“A empresa acompanha vistoria da ANM e Defesa Civil, nesta segunda-feira, para os esclarecimentos necessários sobre as condições de estabilidade das estruturas, que permanecem inalteradas. Importante reforçar que as estruturas geotécnicas da companhia são vistoriadas frequentemente pela agência reguladora e monitoradas permanentemente por equipe técnica especializada”, concluiu.

Em outra nota, enviada na noite desta segunda-feira, a mineradora afirmou “que não há risco iminente atrelado às pilhas de estéril da mina de Fábrica Nova, em Mariana (MG), assim como não há a necessidade da remoção de famílias”.

“Diferentemente do que foi veiculado por alguns veículos de imprensa, a pilha de estéril é uma estrutura de aterro constituída de material compactado, diferente de uma barragem e não sujeita à liquefação. Importante também esclarecer que o dique de pequeno porte localizado à jusante de uma das pilhas tem declaração de condição de estabilidade positiva. A Vale reitera que a segurança é um valor inegociável e que cumpre todas as obrigações legais. A Vale continuará colaborando com as autoridades e fornecendo todas as informações solicitadas”, disse a empresa.

Entenda

A Agência Nacional de Mineração (ANM) interditou e suspendeu, nesta segunda-feira (13), as atividades na Mina de Fábrica Nova, em Mariana, e cerca de 300 pessoas devem ser retiradas da área de risco.

De acordo com informações, a Vale inseriu um documento no Sistema Eletrônico de Informações comunicando que as pilhas de rejeitos à frente da barragem estão instáveis.

Caso as pilhas sofram algum tipo de ruptura haverá situação similar à ocorrência do transbordamento de um dique da Mina Pau Branco, da Vallourec, em janeiro 2022. Na ocasião, os rejeitos invadiram a BR-040, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A situação da barragem da Mina de Fábrica Nova é monitorada desde sexta-feira (10).

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
** Os comentários de internautas em publicações das redes sociais do Notícias Uai não representam, necessariamente, a opinião deste portal e são de inteira responsabilidade do autor.

Ação não permitida.